Costela Fogo de Chão

A história relata que a costela de fogo de chão surgiu nas fazendas, onde os patrões matavam o gado para consumo próprio e pegavam para si as consideradas carnes nobres (picanha, maminha, alcatra, file mignon...) e entregavam aos peões as costelas, carnes consideradas não nobres e difíceis de assar ou usar no dia-a-dia. Os peões, enquanto cuidavam do gado do patrão, fazia um buraco no chão, cravavam a costela em lanças de pau e deixavam assando ela por horas e horas apenas temperada com sal grosso (muitas vezes utilizado para alimentar o gado), enquanto trabalhavam, tomavam um mate e proseavam (conversavam). E assim surgiu um dos mais bonitos e gostosos costumes.

O segredo da costela no fogo de chão é que geralmente a carne perto do osso, quando assada, fica muito saborosa. O problema é que a carne da costela em geral é mais dura que a do resto, tornando o mastigar um pouco pior, mesmo que mais saboroso que muitas carnes nobres. Então, para amaciar a carne, nada melhor do que ao invés de assa-la diretamente no fogo, faze-la cozinhar no calor.